Ricardo Lerner, Diretor do DESEG/FIESP, falece vítima de câncer

No último dia 08 de janeiro, o setor de segurança entristeceu-se com uma notícia arrasadora: o falecimento de Ricardo Lerner, Diretor do Departamento de Segurança da FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, vitimado pelo câncer, doença contra a qual lutou por alguns anos.

Sócio da Denoir, indústria de joias, Lerner começou sua carreira trabalhando com o pai, também joalheiro. Sentindo a necessidade de proteger o próprio negócio, Lerner começou a cultivar uma estreita relação com os órgãos de Segurança Pública. Quando assumiu cargos no Sindijoias – Sindicato da Indústria de Joalheria, Bijuteria e Lapidação de Gemas do Estado de São Paulo e também no IBGM – instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos, Lerner estendeu seu conhecimento e relacionamento com a Segurança Pública para outros empresários, sem nunca cobrar ou lucrar com isso. Sua atuação com relação a assuntos de segurança sempre foi absolutamente voluntária. “Ele sempre ajudou outras pessoas que o procuravam regularmente com problemas de segurança, de forma abnegada, sem obter nenhum retorno financeiro com isso”, garantiu Igor Pípolo, amigo pessoal de Lerner e consultor de segurança da FIESP.

A proeminência de Lerner o levou a ser convidado a ser Diretor de Segurança da FIESP. Em 2008, foi criado o DESEG – Departamento de Segurança, com o perfil de desenvolver e promover ações em prol da segurança empresarial (privada) e pública, para assegurar as atividades industriais e à proteção da sociedade. O DESEG também atua na promoção das Polícias, oferecendo cursos variados por meio do Senai-SP, e desenvolve consultorias técnicas sobre ações de gestão, sem nenhum custo para o Estado.

O estilo inovador e atuante de Lerner levou o DESEG a grandes realizações como o Observatório de Mercados Ilícitos, Programa Começar de Novo (com a finalidade reintegrar ex-detentos à sociedade por meio do trabalho e, consequentemente, diminuir a reincidência criminal), além de vários Congressos e eventos como o Seminário de Segurança na Indústria, realizado em junho de 2016, apoiado pela ABSEG – Associação Brasileira dos Profissionais de Segurança e que gerou um livro lançado em dezembro passado.

“O Ricardo era uma pessoa muito correta, muito sincera e muito autêntica. Como diz o próprio Dr. Dagmar Oswaldo Cupaiolo, Diretor Titular Adjunto do DESEG, Lerner era a única pessoa que falava duramente com Skaf e esse aceitava. À frente do DESEG, Lerner abriu a FIESP para a segurança privada, enxergando sua importância na prevenção de atos ilícitos, interligando a segurança pública e privada. Com seu perfil agregador, conseguimos realizar vários projetos e reuniões importantes como com o Ministro da Justiça sobre diversos assuntos, entre eles o Estatuto da Segurança. Lerner sempre respeitou as demais instituições da área e destacava a importância de cada uma delas, ampliando suas atuações com o apoio e estrutura que a FIESP e a Indústria dispõem”, contou Pípolo.

“Ricardo Lerner fará muita falta porque ele tinha uma energia vibrante que iluminava o ambiente em que chegava. Era muito firme, mas muito querido justamente porque era muito correto. De um tirocínio e inteligência ímpares, sempre tinha uma palavra de sabedoria para compartilhar com quem o procurasse. Além disso, não se entregava à doença que o corroía, não deixando de trabalhar e se envolver com os assuntos do DESEG e da FIESP, chegando a ir diretamente de seu tratamento a reuniões e eventos. Tenho certeza de que ele não se entregou e lutou até o último minuto”, declarou Igor Pípolo que Lerner considerava como um pai e um líder.

Foi grande a comoção da partida desse ícone no meio da segurança. Seu legado será lembrado e as obras que ajudou a criar serão sempre parte do histórico da Segurança Privada nacional.